7 em 500: Como usar o Couchsurfing

Viajar usando o Couchsurfing melhora muito a experiência da trip

A hospedagem é um dos maiores gastos com uma viagem. Contudo, foi com o que menos gastei durante minha viagem de 500 dias por sete países América do Sul. Isso porque usei muito o Couchsurfing, plataforma de hospitalidade que integra anfitriões com viajantes. É sobre ela o terceiro post da série 7 em 500.

O QUE É O COUCHSURFING?

Antes de dizer o que é o Couchsurfing, é melhor primeiro dizer o que ele não é. Ele não é hotel grátis. Ele não é site ou app de namoro. É bom ter isso sempre claro. Não é que dormir sem precisar pagar não seja bom, e não é que o romance esteja proibido, mas esses não podem ser os objetivos principais.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Os objetivos principais podem ser resumidos pelos valores do Couchsurfing: “compartilhe sua vida“, “crie conexão“, “ofereça bondade“, “fique curioso“, “deixe melhor do que você encontrou“. O projeto começou em 2004 e hoje conta com 12 milhões de membros espalhados pelo mundo.

A ETIQUETA

Justamente porque a ideia do CS é compartilhar e conectar, não é legal você chegar na casa de seu anfitrião e não dividir experiências. Você pode estar cansada depois de um dia inteiro de passeios, mas procure conversar um pouco com a pessoa que a recebe. Caso não tenha disposição para isso, melhor optar por um hostel, hotel ou Airbnb.

VEJA TODOS OS POSTS SOBRE AS CIDADES EM QUE ME HOSPEDEI PELO CS

Outra questão de educação no Couchsurfing é, na verdade, uma questão de senso comum: seguir as regras da casa e manter seu espaço em ordem. Dã! Também não custa nada ajudar nas tarefas domésticas, como lavar a louça ou tirar o lixo. Para os que querem agradar mais, levar uma lembrancinha de sua cidade ou país é uma boa ideia.

Apresentei o brigadeiro de colher para os anfitriões de Antofagasta, no Chile

Cozinhar algo simples para o host, caso a situação se apresente, pode ser um pequeno gesto de agradecimento. Ou, caso o anfitrião seja dado às artes culinárias, aceitar uma refeição é igualmente de bom grado. É importante saber que oferecer comida não é uma obrigação de quem a recebe. Por isso, tenha sempre algum lanchinho e dinheiro para se alimentar.

O CONFORTO

Os anfitriões oferecem o que têm a disposição e não é cortês exigir muito. Não há um padrão, então é bom deixar as expectativas baixas e ser surpreendida. Já fiquei em um colchão no chão ao lado da cama do host em uma pensão com banheiro e cozinha externa e também já dormi em um quarto privado cama de casal e suíte.

COMO ENTRAR NO CS

Primeiro, é preciso fazer um cadastro em www.couchsurfing.com ou no aplicativo. É como uma rede social, em que é preciso preencher as informações de sua página. Quanto mais completo, mais confiável será seu perfil. Não é preciso pagar, a não ser que você queira verificá-lo.

O perfil contém informações básicas dos membros

Perfis verificados têm mais credibilidade. Quem hospeda em sua casa ganha três meses de verificação grátis. Uma das vantagens de ter esse selo é poder mandar mensagens ilimitadas para outros usuários, número que se restringe a 10 por semana para os que não são verificados.

COMO ESCOLHER O ANFITRIÃO

Assim como suas fotos e outras informações são importantes para que os outros confiem em você, é bom ler atentamente o perfil do anfitrião para saber se é compatível com o que você busca. A seção Sobre Mim é uma apresentação pessoal e na seção Minha Casa há uma descrição do lugar onde você irá dormir.

Na hora de fazer a busca por hosts, é possível colocar diversos filtros, como o tipo de acomodação, gênero do anfitrião, que idiomas fala, último login, se possui acessibilidade e se possui referências. Usá-los é uma maneira de diminuir a quantidade de gente para fazer a solicitação.

Usar filtros é uma boa maneira de começar a seleção de hosts

Mas, para mim, a parte mais importante são as referências. Nelas é possível saber como foram as experiências anteriores do possível host. Elas estão separadas pelas categorias de “Viajantes“, que são as que a pessoa hospedou, “Anfitriões“, quando ela ficou na casa de alguém, e “Pessoal“, de membros com quem ela interagiu de outra maneira.

As referências são a melhor maneira para saber se o anfitrião é bom
COMO ESCREVER UMA SOLICITAÇÃO

Depois de avaliar o perfil, é a hora de enviar o pedido para ficar na casa da pessoa. É sempre bom enviar para mais de uma, no caso de ser recusado ou ignorado (sim, acontece). Algumas estratégias para escrever uma boa solicitação aumentam a possibilidade de ser aceito.

O Couchsurfing é quase um estilo de vida

Fale brevemente sobre si, seu nome, de onde você é e quando e porque irá visitar a cidade do possível anfitrião. Em seguida, mostre que você leu o perfil e que vocês têm algo em comum. Termine com o pedido para ser recebido.

CURTA A PÁGINA DO ME LEVA EMBORA ESTRADA AFORA NO FACEBOOK
SIGA O ME LEVA EMBORA ESTRADA AFORA NO INSTAGRAM
ACOMPANHE O ME LEVA EMBORA ESTRADA AFORA NO TWITTER

MAPA:

GOSTOU DO POST? NÃO GOSTOU DO POST? TEM ALGUMA SUGESTÃO? FICOU COM ALGUMA DÚVIDA? QUER FAZER UM ELOGIO? UMA CRÍTICA? ESCREVE AQUI NOS COMENTÁRIOS!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.