Tigre

Em domingos de sol, o gramado ao lado do rio Tigre fica cheio de gente

Tigre é uma cidade que fica a menos de 30 quilômetros da capital da Argentina. Ela fica no norte da Grande Buenos Aires (GBA). A viagem de trem desde a estação Retiro até lá demora aproximadamente uma hora e custa 6 pesos (menos de R$ 2). A estação de trem está localizada bem no centro, o que facilita a vida daqueles que escolheram esse destino para um bate-e-volta.

Dia de verão em Tigre

A post shared by Me Leva Embora Estrada Afora (@melevaemboraestradaafora) on

O ideal é visitar o lugar aos fins de semana (se for de sol e calor, melhor ainda), pois é quando a maioria das pessoas aproveita a área para caminhar, fazer piqueniques e conversar em grupos sentados na grama. Tendas de artesanato local se espalham no calçadão na beira do Rio Tigre e dão um toque ainda mais receptivo ao município.

Tigre
Barraquinhas de artesanato ficam próximas ao rio

Para quem quer fazer compras, há ainda outras opções. A Chinatown é uma grande galeria com produtos orientais. Já o Puerto de Frutos é um shopping a céu aberto instalado em uma antiga área de porto. Para quem procura adrenalina, há alguns cassinos e o maior parque de diversões da Argentina, o Parque de la Costa. A atração também tem um setor aquático, mas esse só funciona no verão.

Tigre
O Puerto de Frutos fica onde antes estava o mercado com produtos trazidos em vias fluviais
O PASSEIO DE BARCO

A atividade mais clássica dos turistas é fazer um passeio pelo Delta do Tigre. Essa região consiste em várias ilhas formadas por dezenas de cursos d’água. Há uma opção que vale 150 pesos (cerca de R$ 30) e demora mais ou menos uma hora. Minha embarcação foi a Chau IV, um barco artesanal de 1948, última incorporação de uma empresa que está há três gerações no negócio e faz saídas o ano inteiro entre as 10h30 e as 18h. Ela mede 12,5 metros, pode chegar a 22 km/h e tem capacidade para 40 pessoas.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fabián, um dos sócios, foi o guia e capitão. Ele contou a história dos clubes de remo da área, passou informações sobre a geografia dos 17 mil quilômetros quadrados que englobam o Delta do Tigre, sobre os principais rios que o formam (Paraná, Uruguai e La Plata), sobre as casas e moradores (a maioria dos imóveis são de gente que vai lá para relaxar, mas há 9 mil pessoas vivendo na primeira sessão do Delta) e sobre as cheias que já ocorreram.

Esportes náuticos são muito praticados pelos frequentadores de Tigre
AS BELEZAS DO DELTA DO TIGRE

O turista vai escutando todas essas informações enquanto contempla a beleza dos rios e arroios em que se passa: Tigre, Luján, Carapachay, Angostura, Espera Grande e Sarmiento. Há bastante gente nos clubes das ilhas aproveitando a tranquilidade, crianças brincando, pessoas praticando remo e canoagem (há um lugar que aluga caiaques e barcos a remo – esses últimos, somente para quem tem experiência).

Famílias aproveitam a calmaria do lugar para brincar e descansar

Quem faz o tour depois das 16h ganha um presente: o pôr do sol. A maneira com que a luz penetra por entre as árvores e se reflete na água é muito poética. Como o percurso da viagem é um círculo, não importa em que lado da embarcação se fique, em algum momento se terá a visão perfeita do astro rei caindo sobre o Delta.

Tigre
O entarceder visto de dentrodo barco no Delta do Tigre é inesquecível

Curta a página do Me Leva Embora Estrada Afora no Facebook
Siga o Me Leva Embora Estrada Afora no Instagram
Acompanhe o Me Leva Embora Estrada Afora no Twitter

MAPA:

* A viagem na Chau IV foi uma permuta com o Me Leva Embora Estrada Afora – passeio em troca de uma citação em post no blog. As opiniões contidas no texto são independentes e baseadas na experiência que tive lá.*

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *