São Paulo: grafites e lambe-lambes

Grafites
Mural idealizado por Eduardo Kobra retrata Chico Buearque e Ariano Suassuna

Dentre todas as riquezas de São Paulo, a que mais me interessa é a artística. Além dos inúmeros museus e casas de espetáculos ela possui, a arte também é expressa nas ruas da cidade. As ruas e praças se tornam palcos e os muros e prédios se tornam telas. Andar a pé pela capital paulista é poder admirar os grafites, murais, stencils e lambe-lambes espalhados pela cidade. A maioria, além de uma manifestação estética, também transmite uma mensagem política importante.

LAMBE-LAMBES

Os lambe-lambes são cartazes de papel colados pelas paredes da cidade. Segundo Diogo Oliveira, “o lambe-lambe, cujo nome surgiu no século XXI, tem no cartaz o seu precursor, mas sua função o diferencia deste, pois está relacionado a um movimento com viés crítico e propõe uma ideia ou reflexão contrária a alguma conduta social ou desigualdade, ou simplesmente é resultado do trabalho de artistas e grupos de artistas que ocupam o espaço público com o objetivo de espalhar suas criações”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O feminismo é um dos grandes temas estampados nos lambe-lambes. Depoimentos e fotos colhidos pelo projeto Feminicidade e pelo movimento Levanta Zabalê são alguns dos conteúdos espalhados pelas paredes da capital paulista. Frases de empoderamento feminino impressas pelo @floresnasruas também podem ser vistas pelas ruas, principalmente na Avenida Paulista. Críticas à sociedade, ao capitalismo, ao recente golpe na presidência, à ideia do corpo perfeito, à privatização e degradação do espaço público, tudo isso está manifestado nos cartazes colados pela cidade.

Este slideshow necessita de JavaScript.

GRAFITES

Outro técnica muito utilizada em Sampa é o grafite. Algumas das inscrições mais famosas são do renomado muralista paulista Eduardo Kobra. O arquiteto Oscar Niemeyer foi desenhado na lateral do Edifício Ragi Buainain, que pode ser observado desde a Avenida Paulista. A quase três quilômetros dali, a uma quadra da Paulista, o piloto Ayrton Senna está representado em um prédio da Rua da Consolação.

O bairro Pinheiros concentra outras pinturas de Kobra. O músico Chico Buarque e o escritor Ariano Suassuna foram retratados na fachada da loja Fnac da Avenida Pedroso de Morais. Na esquina da Rua Taváres Cabral com a Avenida Brigadeiro Faria Lima localiza-se a obra que homenageia a bicicleta. E na esquina da Rua Sumidouro com a Fernão Dias está o mural Club 27, com artistas que morreram aos 27 anos: Janis Joplin, Amy Winehouse, Jimi Hendrix, Jean-Michel Basquiat, Jim Morrison e Kurt Cobain.

BECO DO BATMAN E BECO DO APRENDIZ

Para quem gosta de grafites, há dois pontos imperdíveis: o Beco do Batman e o Beco do Aprendiz, separados por menos de meio quilômetro. O Beco do Batman, no bairro Vila Madalena, é uma estreita rua de cerca de 200 metros com muros cobertos de grafites. Já o Beco do Aprendiz fica na Rua Belmiro Braga, no bairro Pinheiros. Não são tantas as obras, mas a visita também vale a pena.

Curta a página do Me Leva Embora Estrada Afora no Facebook
Siga o Me Leva Embora Estrada Afora no Instagram
Acompanhe o Me Leva Embora Estrada Afora no Twitter

MAPA:

LEIA MAIS SOBRE SÃO PAULO:
PARQUE IBIRAPUERA E OBELISCO
MEMORIAL DA RESISTÊNCIA
PAULISTA ABERTA E LARGO DA BATATA

2 comentários Adicione o seu

  1. É o que mais amo nas ruas de São Paulo, a arte das ruas!

    1. melevaemboraestradaafora diz:

      Siiim, Veronica. Da vontade de ficar o dia todo vendo todas as expressões artísticas das ruas!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *