Cartagena: Bocagrande/ transporte/ San Pedro

DSC_0390
A praia de Bocagrande não corresponde exatamente ao imaginário caribenho

Além da parte histórica, Cartagena, na Colômbia, também é conhecida por estar na beira do Mar do Caribe. Mas se decepciona o viajante que procura a cidade por causa da praia. Uma das mais procuradas é Bocagrande. Ela, definitivamente, não reflete a imagem que se tem do Caribe: é onde a população mais rica da cidade mora e a avenida beira-mar é repleta de altos edifícios.

Entardecer em Bocagrande. Cartagena de Indias, Colômbia. Rafaela Ely©2012
Crianças brincam durante o entardecer em Bocagrande

A areia vulcânica áspera e a água que, apesar de ser azul, não tem a translucidez que se imagina, tornam a ida à orla menos interessante. Quem visita a cidade tendo como principal objetivo o banho de mar fica mais satisfeito com um passeio de um dia ou mais até Playa Blanca, ilha de Barú. Essa sim, tem ar caribenho, mas ir até lá toma um certo tempo.

A cartagena real

Cartagena turística se restringe a um espaço pequeno, comparado com as verdadeiras dimensões do município. A Cartagena real se espalha atrás do Cerro de La Popa. A longa Avenida Pedro de Heredia leva para uma região crua da cidade. A parte mais enriquecedora do intercâmbio social que realizei na cidade foi justamente ficar longe da parte turística. Morei no bairro San Pedro. Lá, pude vivenciar o dia a dia como uma autêntica moradora do município – que é muito menos charmoso daquilo que se vê na ciudad amurallada. Menos charmosa, mas não menos interessante.

Os imóveis históricos podem ser vistos principalmente na parte turística de Cartagena

Duas lembranças causam mais nostalgia: o trânsito caótico, em que motoristas e motociclistas não seguem as leis e parecem cumprir um código próprio, e as músicas soando de alto-falantes espalhados por todos os lados. Naquele verão, as mais frequentes eram a champeta (estilo popular costeño) “Nos Vamos De Escape / Tucu Tucu” e o sertanejo-universitário brasileiro “Ai Se Eu Te Pego” (SIM!).

O transporte em cartagena

Falando em trânsito, é recomendável percorrer os atrativos da parte turística a pé. O transporte público em Cartagena é confuso. Os microônibus (chamados de busetas) não têm roleta e o valor pago ao cobrador varia (por exemplo, se a passagem for COP 2.000 para um passageiro, pode ser que ele se contente com COP 3.000 para duas pessoas).

DSC_0023
Táxis são amarelos e pequenos para transitar com facilidade pelas ruas estreitas

Os táxis não têm taxímetro. A dica é perguntar qual seria o valor aproximado da corrida para um morador antes. Antes de entrar no veículo, o viajante (que deve dissimular o máximo para parecer um local) deve perguntar o preço ao taxista. Eles tendem a abusar de turistas e cobrar mais. Às vezes, acontece de o motorista não aceitar o que se oferece. Então, dispensa-se o táxi e aguarda-se por outro, na esperança de que aceite a proposta. Pode-se negociar quanto se quer pagar e a pechincha é fundamental para não ser explorado.

MAPA:

Curta a página do Me Leva Embora Estrada Afora no Facebook
Siga o Me Leva Embora Estrada Afora no Instagram
Acompanhe o Me Leva Embora Estrada Afora no Twitter

3 comentários Adicione o seu

  1. Adorei seu post, colombia esta na minha lista de proximas viagens, e eu quero muito ver um mar caribenho, obrigada por essas dicas..bjs

    1. Vai assim que puder, pq o país é realmente encantador! No post bit.ly/meleva_playablanca falei sobre Playa Blanca, que parece mesmo o Caribe. 🙂 Beijos

      1. Vou acompanhar seus post, pra eu já saber onde ir.. Obrigada! 😉

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *