Montevidéu: Tristán Narvaja/ Palácio Legislativo/ MAM

Montevidéu
Na Rua Tristán Narvaja, em Montevidéu, acontece uma das maiores feiras do Uruguai

Depois de uma noite de descanso para me recuperar do show do Cuarteto de Nos e do passeio pelo Parque Batlle e Ciudad Vieja no sábado, era hora de conhecer um pouco mais de Montevidéu. Antes mesmo de sair de casa, já começaram os causos de viagem. Eu estava sozinha e não consegui abir o portão do pátio de Emiliano, o host do Couchsurfing. Tive que saltar uma grade de uns dois metros de altura. Acabei com um pequeno furo na calça e mais uma história engraçada para contar. 

A tristán narvaja

Domingo foi o dia de conhecer uma das feiras mais tradicionais da cidade, a Tristán NarvajaFeiras são muito comuns por todo o Uruguai. Segundo Emiliano, em Montevidéu, todos os dias da semana há pelo menos uma em um raio de 20 quadras. Ou seja, diariamente, os moradores da cidade estão sempre a uns dois quilômetros de algum mercado ao ar livre.

Montevidéu
Revistas em quadrinho antigas são vendidas na Tristán Narvaja

Os produtos são os mais variados: frutas, verduras, queijos, animais de estimação, roupas, livros, discos, material para o tradicional mate, antiguidades, artigos de ferragem e outros itens. Quando viajo (e quando tenho uma gordurinha no orçamento), gosto de comprar CDs de artistas locais. Levei dois que não havia encontrado no Brasil: Otra Navidad En Las Trincheras, do Cuarteto, e Sea, do Jorge Drexler.

A 18 de julio
Montevidéu
Lei sobre maconha é tema de pintura na 18 de Julio

Depois de passar quase uma hora na Tristán Narvaja, me dirigi novamente à 18 de Julio. Dei um tempo na parte externa de um restaurante na Plaza del Entrevero para contemplar o – pouco – movimento daquele domingo de sol na capital uruguaia. A ideia dessa viagem não era conhecer pontos turísticos. Era simplesmente curtir a cidade pela qual sou perdidamente apaixonada. Sinto uma leveza, um bem estar, sempre que estou em Montevidéu que prefiro usar o tempo que estou lá caminhando pelas ruas tranquilas de lá.

O palácio legislativo

Montevidéu
O Palácio Legislativo é um dos prédiosmais bonitos da capital do Uruguai

Apesar da ideia não ser conhecer lugares novos, explorei lugares que ainda não tinha ido também. Com construção imponente, o Palácio Legislativo, inaugurado em 1925, é a sede do parlamento do Uruguai. Nos dias úteis, é oferecida uma visita guiada ao local, mas como era fim de semana, não pude entrar no edifício. Mesmo assim, é uma parada que recomendo na cidade.

a plaza 1º de Mayo

Logo atrás do Palácio fica a Plaza 1º de Mayo. Chamou a atenção o clima brasileiro dali. Faixas apoiavam a presidente Dilma com a frase “Não vai ter golpe” e parte da bateria de uma escola de samba ensaiava por ali. Ao contrário do que eu pensava, havia desfiles com escolas de samba no Carnaval uruguaio. A folia à la Brasil começou há uns cinco anos.

Montevidéu
Manifestações contra o golpe no Brasil foram colocadas na Plaza Primero de Mayo no Dia do Trabalhador
O MAM

Aproveitei que estava pela região e passei pelo Mercado Agrícola de Montevideo (MAM). O prédio centenário foi reaberto em 2013, após reformas, e hoje é um shopping. Em geral, odeio shoppings. Mas simpatizei com esse por ser pequeno, por ser em um imóvel histórico restaurado e por fazer parte de um projeto de fomentação e recuperação do bairro Goes, onde ele se localiza. Ali, em um agradável café no meio do centro comercial, aproveitei minhas últimas horas na cidade.

Montevidéu
O prédio do Mercado Agrícola de Montevideo foi restaurado
a volta de montevidéu

Um pouco antes do anoitecer, voltei para a casa de Emiliano para pegar a mochila e me despedir. Fui para a parada de ônibus cedo. Não adiantou muito. O coletivo que me levaria à rodoviária não parou para mim e para a senhora que aguardava comigo. Acabei chegando ao terminal Tres Cruces um pouco estressada e sem a antecedência que eu esperava para tomar o TTL de volta para Porto Alegre.

Montevidéu
Cruz fica perto do terminal rodoviário Tres Cruces, em Montevidéu

O imprevisto foi um pouco desanimador, pois não permitiu que a viagem encerrasse sem nenhum contratempo. Mas isso não diminuiu nem um pouco meu encanto por Montevidéu e pelo Uruguai. Essas 36 horas que passei lá serviram para aumentar meu amor pela cidade e pelo país. E saí de lá com um sonho: morar lá por um tempo para conseguir absorver as riquezas do lugar.

Curta a página do Me Leva Embora Estrada Afora no Facebook
Siga o Me Leva Embora Estrada Afora no Instagram

Acompanhe o Me Leva Embora Estrada Afora no Twitter

MAPA:


ASSISTA AO VÍDEO DESTA VIAGEM:

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *