Montevidéu: Parque Batlle/ Cuarteto de Nos

Parque Batlle
Muita gente vai para o Parque Batlle, em Montevidéu, para fazer exercícios ou passear com os cachorros

A sensação de chegar em uma das cidades que mais amo no mundo é sempre maravilhosa. Respirei fundo para sentir o ar gelado da manhã de outono em Montevidéu e, quase flutuando, comecei a caminhar desde o Terminal Tres Cruces até a casa de Emiliano, meu host do Couchsurfing. Cerca de 40 minutos depois, encontrei o lugar. Por sorte, um vizinho estava por ali e consegui entrar no terreno para que eu batesse na porta. Estavam todos dormindo. Um tcheco hospedado ali me deixou entrar e me mostrou o básico. Esse descaso do anfitrião deu uma desanimada, mas eu estava no Uruguai e não tinha tempo para ficar down. Carreguei um pouco o celular, deixei a mochila grande na sala e saí novamente para explorar a cidade.

o parque batlle

Havia decidido que faria tudo a pé, ou tanto quanto aguentasse (No total, foram 15 quilômetros no sábado e 10 no domingo). Comecei por dois lugares de onde tenho excelentes lembranças e queria muito rever: o Estádio Centenário, onde vi um show do Paul McCartney em 2012, e o Velódromo, onde vi um show do Cuarteto de Nos em 2015.

Parque Batlle
O Estádio Centenário, localizado no Parque Batlle, é a casa do Peñarol e do Nacional, os principais times da cidade

Esses locais ficam dentro do Parque Batlle, uma área verde que se estende por uns 60 hectares. O foco deste espaço é a prática esportiva. Além do Centenário (campo de futebol) e do Velódromo (pista de ciclismo), há campos de outros dois times de futebol, pista de atletismo, clube de tiro e academia ao ar livre. O famoso monumento La Carreta, cartão-postal da cidade, também fica dentro do parque. 

Parque Batlle
Um dos cartões-postais de Montevidéu é o monumento La Carreta, no Parque Batlle

Era um sábado ensolarado e muita gente estava lá fazendo execício. Caminhada, corrida, ginástica funcional, tai chi chuan, as modalidades eram variadas. Mas a maneira mais popular de atividade física na cidade é, aparentemente, o passeio com o cachorro. Pessoas caminhando com cães foi uma cena que vi com frequência. As duplas estavam nos parques, nas calçadas, nos canteiros. O passeio ajudou a reafirmar o Parque Batlle como uma das partes mais legais da cidade. A soma de incentivo ao esporte + local arborizado + espaço público bem utilizado pela população é uma combinação que sempre me conquista.

Parque Batlle
Esculturas fazem parte do cenário no Parque Batlle
a rambla

Do parque, percorri a 18 de Julio e cheguei à Ciudad Vieja para encontrar um outro fã do Cuarteto de Nos para irmos juntos ao show daquela noite no Teatro de Verano. Descemos até a Rambla e fomos costeando o Río De La Plata. Enquanto caminhávamos e lutávamos contra o vento e o frio, refletíamos sobre a importância que Montevidéu dá ao Prata, enquanto outros municípios não valorizam seus estuários (como o caso de Buenos Aires, com o mesmo La Plata, e Porto Alegre, com o Guaíba).

O pôr do sol parece ficar mais bonito no Rio da Prata, em Montevidéu, capital uruguaia
cuarteto de nos no teatro de verano

Chegamos ao teatro um pouco antes das 18h e já encontramos uma pequena fila. O pôr do sol manchou momentaneamente o rio e o contorno dos prédios de laranja, e a noite chegou. O grande momento, o motivador da viagem até o país vizinho, estava próximo. Em breve, começaria o show do Cuarteto. O Teatro de Verano é um espaço para se invejar. Inaugurado em 1944, é um centro de espetáculos ao ar livre com capacidade para quase 4 mil pessoas. O ousado projeto arquitetônico impressiona com sua grande abóbada. Na beira do rio e dentro do Parque Rodó, fica em uma área privilegiada da cidade.

800px-Parque_Rodó,_Montevideo,_Uruguay_-_Teatro_de_Verano_03
A arquitetura do Teatro de Verano chama a atenção (Foto: NaBUru38/Wikimedia)

Um palco histórico para uma banda histórica. El Cuarteto de Nos surgiu em 1984 e é uma das bandas mais respeitadas da América Latina. A apresentação de 7 de maio fez parte do encerramento da turnê do álbum Habla Tu Espejo. O set list foi bem diferente dos outros shows deles que eu havia visto. Começar o toque com Buen Día, Benito foi a primeira surpresa. Depois, para minha felicidade, vieram algumas canções que não esperava: Nada És Grátis En La Vida, Bipolar, Mirenme e Un Problema Menos.

O host de montevidéu

Objetivo principal da viagem ao Uruguai cumprido, voltei para casa de alma lavada para, finalmente, conhecer meu host do Couchsurfing. Emiliano é cara simpático, mas um pouco distraído, que me deixou seu quarto (havia outros três hóspedes). Conversamos um pouco e me recolhi para recuperar as baterias depois dos 15 quilômetros caminhados durante o dia.

Curta a página do Me Leva Embora Estrada Afora no Facebook
Siga o Me Leva Embora Estrada Afora no Instagram
Acompanhe o Me Leva Embora Estrada Afora no Twitter

MAPA:

Leia mais sobre Montevidéu:
POA-MVD de ônibus
18 de Julio/Ciudad Vieja

2 comentários Adicione o seu

  1. Que post lindo! As fotos estão demais!

    1. Valeeeeu!!! A cidade é demais, as fotos só refletem o lugar… <3

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *